Delivery: 3 dicas para você ingressar nesse mercado em meio ao coronavírus

April 15, 2020

 

Com a pandemia do novo coronavírus, a maioria dos restaurantes, lanchonetes, bares e outros comércios alimentares encontraram no delivery a alternativa de minimizar os impactos da crise.  Enquanto outros, por falta de experiência ainda não investiram nessa estratégia. Por essa razão, reunimos neste artigo dicas para você ingressar nesse mercado em meio ao Covid-19 e salvar o seu negócio.

 

De acordo com o aplicativo de delivery Rappi ao portal de notícias Huffpost Brasil, o número de pedidos aumentou 30% - os restaurantes lideraram seguidos pelos supermercados e farmácias. Isso significa que ingressar nesse mercado é o ideal para continuar funcionando e, mais do que isso, não ficar para trás quando tudo voltar ao normal. 

 

Atualmente, o delivery representa segurança para os consumidores, afinal segundo as diretrizes da European Food Safety Authority (EFSA), não há “nenhuma evidência de que alimentos podem ser fontes ou rotas de transmissão do vírus.” Além disso, a entrega economiza tempo e oferece praticidade, dois fatores que fazem diferença na decisão de compra do cliente. Dessa forma, mesmo quando o surto do novo coronavírus encerrar, a expectativa é que o delivery preencha boa parte dos lucros das empresas.

 

Veja abaixo algumas dicas para você ingressar nesse mercado e aumentar a rentabilidade do seu negócio:

 

Pense na experiência

Segundo Odair Coimbra, Gerente Comercial para Redes e Varejo da Engefood, o empreendedor deve pensar primeiro na experiência do cliente antes de qualquer ação. 

 

“O delivery já é uma experiência diferenciada de consumo. Mas é importante lembrar que esse período vai passar e você precisa fidelizar o seu cliente”, orienta Odair.

 

Para ele, o negócio deve definir quais serão os canais de comunicação (WhatsApp, Chat ou telefone), meios de entrega (entregadores próprios ou aplicativos de entrega), estratégias de entrega e até nas embalagens. “Pense em superar as expectativas do seu cliente a ponto dele realizar uma recompra no futuro”, sugere.

 

Defina o mix de produtos

Nesse momento, Odair explica que os consumidores não costumam arriscar tanto. Por esse motivo, os negócios devem apostar em produtos que vendam bem, com boa margem de lucro e que tenha durabilidade em viagens. “Para isso, você precisa ter os seus números de venda muito bem atualizados”, explica o profissional.

 

Coimbra diz ainda que, se necessário, realizar adaptações nas receitas pode ser uma boa opção para surpreender o cliente. “O consumo em casa é diferente do consumo no restaurante. Essa experiência deve ser boa da mesma forma.”

 

Atente-se às exigências de higiene

Mesmo que os restaurantes, lanchonetes e bares trabalhem com a capacidade reduzida, os funcionários devem ser orientados a seguirem às exigências de higiene, como lavar as mãos com frequência, usar máscaras de proteção e manipular corretamente os alimentos.

 

Outro ponto que Odair ressalta é a higienização dos entregadores. “Oriente eles a realizarem a higienização correta do veículo - seja ele carro, moto ou bicicleta - e do box de acomodação dos alimentos”, sugere. “Fale para os seus clientes priorizem os pagamentos eletrônicos para evitar o contato direto com cartões e maquininhas.”

 

 

Conte com o suporte da Engefood

A Engefood conta com um suporte exclusivo para ajudar os negócios a reduzirem o impacto dessa crise. Com tecnologia de ponta, a empresa oferece o que há de mais moderno no mercado. Além disso, possui uma assistência técnica especializada, com profissionais qualificados para atender suas necessidades. Fale agora mesmo com um dos consultores.


 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Dica de filme: Gosto se discute